MENU

abril, 2012
Archive

Edite seu guarda-roupa 4: o que eu quero?

Consultoria de Moda

abril 30, 2012

 

 

Neste momento, você:

1. Já entrou no seu guarda-roupa, provou cada peça e tirou do armário todas as que já não te servem mais {leia mais}.

2. Já fez  a lista das peças que você tem {leia mais}.

3. Já fez a lista das peças que você precisa para ter um guarda-roupa “flex”, {leia mais}.

Depois de todo este esforço, chegou a hora da premiação. Esta é a lista BÔNUS. Nela você pode escrever todas aquelas peças que povoam o seu imaginário. Não poupe nada.

Esta é a hora daquele sapato incrível ou daquela calça maravilhosa que você viu quando foi comprar as peças indispensáveis, mas que não faziam parte daquela lista.

Se eu fosse listar o que eu quero, garanto que a minha lista de desejos se extenderia por páginas e páginas.

Novamente aqui é preciso ser inteligente. Não podemos gastar o salário todo satisfazendo nossos desejos, então:

1. Estabeleça prioridades.

2. Não compre nada que te faça sentir imensamente culpada ao passar o cartão de crédito. A culpa acaba com a diversão.

3. Gaste mais em coisas que vão durar por algum tempo.

 4. Paras peças que são apenas tendências da estação, procure as lojas de fast fashion como a Zara e a Top Shop. Você não  quer gastar todo seu dinheiro em roupas que vão ficar no armário depois de um tempo curto, certo?

Se sentir “abstinência”, se dê presentes pequenos e pouco custosos: um batom, uma nova fivela de cabelo, um creme para as mãos, hidrate os cabelos, tome um banho de banheira. O importante é se mimar, sempre.

Leve isso a sério.

 

“Eu costumava comprar bons sapatos, agora eu compro boas bolsas.

Elas me fazem sentir mais confiante.”

 

Marc Jacobs

 ____________________________________

Para ficar por dentro, leia também:

 

 

 

 


Read article

Jornada: Um homem vestindo a sua alma – parte 4

Consultoria de Moda

abril 30, 2012

Depois de conversar com o H por e-mail para conhecer um pouco mais dele, entender o dia a dia e as dificuldades ao se vestir, encontrá-lo para uma conversa e da análise que ele fez das fotos que envie, chegou o momento mais crítico: entrar no guarda-roupa dele.

Esta fase do processo pode levar horas, 1 dia inteiro ou 2 dias. É quando eu literalmente o cliente veste TODAS as peças de roupa que tem no armário,cada uma delas, e vamos conversando sobre o que fica, o que precisa ser ajustado e o que sai.

Algumas peças saem com naturalidade, já não eram para estar ali mesmo. Outras, geram questionamento e explicações mais longas. Outras nunca saem. Tem valor sentimental.

Não é nada fácil deixar alguém investigar o seu guarda-roupa e te dizer que fez escolhas equivocadas. Ao mesmo tempo, são horas de aprendizado sobre o corpo, as linhas, o que está ou não na moda, o que nunca sai de moda.

É estafante, consome tempo, energia e paciência. O restante vou deixar que o próprio H. conte a vocês.

A próxima fase: COMPRAS!!!!

___________________________

“Eu não sabia como seria a vistoria geral do meu guarda-roupa, mas até que estava bem tranquilo, pois a Juliana conduziu a pré-visita com muita delicadeza e naturalidade.

Logo na primeira peça de roupa que vesti, compreendi o “espírito da tarefa” e me entreguei à proposta.

Ela tirou fotos no seu iPad e me mostrou o que eu vinha fazendo há anos comigo mesmo: impressionante receber explicações de como eu distorcia minhas proporções corporais com as roupas que escolhia e com o jeito de usá-las.

Impressionante!

O impacto emocional é realmente grande.

Confesso que ver minha própria foto e reconhecer o quanto eu mesmo “me sabotava” foi um belo de um incômodo. Mas um incômodo libertador, pois eu estava diante de uma tremenda profissional, que rapidamente me mostrou como “virar o jogo”. Que aula!

A tarefa se estendeu por mais de quatro horas. Para mim, algo antes inimaginável.

Eu vesti todas – simplesmente todas!!! - as minhas roupas e, ao final do “arrastão”, parecia que tinha passado um tsunami na minha casa: de um lado um enorme pilha das roupas para doação, de outro as roupas para ajuste, na poltrona as roupas que terão que mudar de serventia e, ainda bem!, em cima da mesa as roupas que foram aprovadas e até elogiadas.

Ao final desse tempo todo eu estava cansado, porém mudado.

Eu aprendi muito e adquiri um olhar mais aguçado: meu mapa mental foi, de fato, ampliado e já consigo curtir as possibilidades de novas combinações.

Enfim, estou curtindo o processo e, depois de 48 horas do arrastão, digo com tranquilidade que se precisasse eu faria tudo de novo.

Read article

Você se boicota por Frederico Mattos

Comportamento

abril 29, 2012

Todo mundo que ser feliz, isso parece ser um consenso.

Fracasso ou sucesso, para que lado você realmente quer ir?

Queremos tem um bom emprego em que nos realizemos, um relacionamento amoroso com alguém que seja parceiro de verdade, uma família que se apoie sem dispusta ou competitividade.

No entanto, porque raios nos conformamos com uma vida morna?

Parece que quanto mais passa o tempo mais investimos naquilo que não nos faz bem. Insistimos naquele emprego escravizante e bem longe dos nossos sonhos. Batemos mil vezes a cara naquela pessoa que nos faz mal, despreza e faz da nossa vida um inferno. Nos degladiamos em torno de familiares que parecem ter o gosto de nos fazer mal.

Por que?

Tenho acompanhado com a Juliana a jornada de um homem de reconstruir seu guarda-roupa. Ele sempre se questionou sobre sua aparência e nunca ficou à vontade com suas roupas. Em dado momento ele notou que sempre escolheu roupas que desfavoreciam seu porte físico. Ele se escondia atrás daquilo que se vestia.

Já vi mulheres fazerem o mesmo. Muitas escondem as pernas grossas em calças largas, outras parecem que amarram os seios fartos num espartilho. Sei também de mulheres que colocam os cabelos para esconder o rosto ou os olhos e fico me perguntando porque razão tanta tortura, se o que queremos é ser felizes.

O ponto é que nos debatemos com vocês internas em nossa mente. Parece que dialogamos com demônios interiores que sempre nos roubam a alegria quando estamos muito pertos de alcançar aquilo que queremos.

Você encontra o cara legal, que trata você bem, mas faz questão de achar tudo entediante, não dá chances para que algo seja diferente e acaba dando um chute nele e indo atrás daquele outro que te trata como copo descartável.

É a voz punitiva dentro de você dizendo que não pode ser amada.

O que essa voz de fato quer? Ela quer te proteger de uma vida sem sentido, mas costuma ser tão radical e cheia de restrições que nada passa no filtro dela. Vou simular um diálogo interno.

Você: conheci um cara que parece bem legal.

A voz: Será que ele é legal mesmo ou você está se acostumando com pouco?

Você: ele é carinhoroso, companheiro, amigo, tudo o que espero num homem.

A voz: chato, meloso, grudento, entediante. É isso que quer para a sua vida?

Você: mas desse jeito vou ter que voltar para o Ricardinho, ele me dava mil aventuras.

A voz: isso parece excitante de verdade.

Você: tem razão, esse cara parece mais um garoto, meio sem vida, faz tudo o que eu quero, vai me cansar.

A voz: exato, você não vai querer passar a vida inteira na geladeira, né?

Você: pé na bunda, é isso que vou fazer.

A voz: Yes!!

O mesmo acontece em relação ao dinheiro, imagine um cara ambicionando aumentar o salário e as suas comissões.

Ele: acho que está na hora de ganhar um belo aumento!

A voz: Também acho, você merece, mas não tem receio?

Ele: Do que?

A voz: Oras, de tudo o que o dinheiro pode trazer de perigoso.

Ele: Como assim?

A voz: Pessoas ricas são esnobes, arrogantes, destratam os outros, são fúteis, superficiais, materialistas e se afastam dos seus valores, se corrompem, vendem sua alma.

Ele: é né? Parece bem perigoso, não quero me deformar e esquecer aquilo que realmente sou.

A voz: é, você quer ser um vendido? Se render a esse mundo capitalista e sem coração? Ignorar o sofrimento humano? Querer tudo para si?

Ele: Acho que vou esperar um pouco mais para pedir o aumento, afinal não quero ser ganancioso, minha família pode esperar um pouco.

A voz: sim, acho melhor ser prudente e fazer as coisas com calma, não queremos desastres desgovernados.

Notem que a aparência de proteção é só uma narrativa sedutora como aquele “amigo” que quer induzir você a pensar que as drogas vão fazer você ser feliz e confiante.

A base dessa voz punitiva é o perfeccionismo que ela tem, ela faz você desistir dos sonhos antes de dar o pontapé inicial. É a “necessidade da segurança”. O que você chama de precaução na busca de condições ideais é a voz que boicota suas melhores aspirações.

O crescimento é uma aventura sem garantias. Enquanto você insistir em permanecer seguro o máximo que irá alcançar é o mesmo que alcançou ontem enquanto estava com medo, quase nada.

________________________

Frederico Mattos é um homem apaixonado, sonhador nato, psicólogo provocador, escritor de um não best-seller e empresário. Adora contar e ouvir histórias de vida. Nas demais horas medita, faz dança de salão, Muay Thai, lava pratos e escreve no blog Sobre a vida. No twitter é@fredmattos.

__________________

Leia também:

Misturando tudo

Edite seu guarda-roupa 1

Edite seu guarda-roupa 2 

Jornada: um homem vestindo a sua alma- parte 1 

Jornada: um homem vestindo a sua alma – parte 2

Jornada: um homem vestindo a sua alma – parte 3  

Capital Erótico – Beleza

Capital erótico – sensualidade

Capital erótico – habilidades sociais

Capital Erótico – Vivacidade 

Capital Erótico – Visual

Capital Erótico – Sexualidade 

Seja sua própria musa

A verdadeira liberdade por Frederico Mattos

Fluidez feminina por Frederico Mattos

Mulheres que perderam a feminilidade por Frederico Mattos

Psicologia e Moda por Frederico Mattos

Engordar é uma escolha por Frederico Mattos

Read article

Edite seu guarda-roupa 3: O que eu preciso?

Consultoria de Moda

abril 28, 2012

 

Bem que todas nós gostaríamos de gastar horrores na nossa loja favorita.

Não podemos e não devemos. Eu adoraria vestir algo novo todos os dias, mas adoraria fica nos sonhos e a realidade é diferente.

Quando eu compro a peça certa, não me importo de usá-la até seus últimos dias, pelo contrário, me arrependo de não ter comprado um back-up.

Então, o guarda-roupa inteligente é aquele recheado de peças “flex” que permitem que você combine, descombine, crie, invente, adeque sem a necessidade de passar o cartão de crédito o tempo todo.

Por isso, agora que você já entrou no guarda-roupa {leia mais}, e tirou tudo que não te servia mais e já fez a lista do que você tem {leia mais}, está na hora de fazer a lista do que você precisa.

Veja bem, não é uma lista de desejos, ainda não é a hora do que queremos, é a lista do necessário para ter aquele guarda-roupa flex que falei ali em cima.

Ao fazer a lista, coloque peças clássicas como:

1. um pretinho básico

2. uma camisa branca

3. um cardigã de cashmere

4. um trench coat

5. uma calça jeans

6. um relógio masculino

7. sapatilhas

8. um escarpin de salto alto

9. uma bolsa incrível

10. uma camiseta branca básica

11. uma calça de alfaiataria

12. uma saia lápis

13. uma jaqueta de couro….

Aos poucos você vai recheando o seu guarda-roupa com a versatilidade necessária para atender à formalidade do local de trabalho e à descontração de um happy-hour, mudando algumas coisinhas.

Insisto, quando compramos certo, usamos, repetimos, reinventamos e nos sentimos sempre bem mesmo que vestindo a mesmíssima peça de roupa várias e várias vezes.

Não deixem de acompanhar o post de amanhã: Edite seu guarda-roupa 4; O que eu quero? e a próxima série de postagens: “As peças chave de todo guarda-roupa”.

Beijos!!!

 

 






Read article

Anjinhos Distraídos por Mariza Cordeiro

Comportamento

abril 28, 2012

Autor Desconhecido

Era uma vez um anjinho, muito distraído, chamado Amorel. Ele recebeu uma incumbência de Deus.
Amorel acabo de inventar os humanos, eles estão classificados como homem e mulher.

Cada um tem seu par e já estão todos alinhados de par em par. Pegue esta bandeja de humanos e leve para que eles habitem a terra.

Amorel ficou contente, pois há muito tempo o Senhor não o chamava para tão nobre trabalho. O anjinho pegou a bandeja e ao virar uma esquina lá no céu, trombou com uma anjinha chamada Amanda. A bandeja voou longe, e todos os casais de humanos se misturaram.

Amorel e Amanda ficaram desesperados e foram contar para Deus o ocorrido.

O Senhor falou:

-Vocês derrubaram, vocês juntarão!

Porém, parece que Deus se esqueceu que os anjinhos eram distraídos. E é por isso que a cada dia os casais se juntam e se separam. Os dois anjinhos trabalham incessantemente para que os casais originais se encontrem.

O trabalho é muito difícil, tanto que por muitas vezes eles juntam casais errados, pois os humanos espalhados ficam inquietos e cobram o serviço dos anjinhos o tempo todo.

Quando os humanos se mostram muito desesperados, os anjinhos unem dois desesperados, mas logo depois percebem o engano e os separam.

E, por muitas vezes esta separação é brusca, pois não se tem tempo a perder.

Recebi um bilhete dos dois anjinhos e vou mandar pra você agora:

“Se você é humano! Estamos trabalhando com empenho, porém. sempre contando com a ajuda de vocês.

Não se desesperem, mas também, não se isolem; tentem mostrar realmente quem é cada um de vocês, pois a medida que cada um mostrar o que é de verdade. vai tornar o nosso trabalho mais fácil.

Aproveitamos a oportunidade, para nos desculpar pelas separações abruptas, sabemos que elas geram muito transtorno, mas se nós o separam os de alguém, é por que em algum canto vimos alguém bem mais parecido e por isso precisamos isolá-los para facilitar o encontro.”

_________________

Você vai amar estas também:

Convite à loucura

O laço e o abraço

A cor da saudade

Mosteiro de Sumela 

A felicidade e o tempo

Força ou Coragem

Read article