MENU

Depoimentos
Category

1685

Vamos parar de nos boicotar

autoestima, beleza, Comportamento, Confissões, Depoimentos

maio 1, 2013

A campanha Retratos da Dove me inspirou a escrever este post. Como o slogan: você é mais bonita do que pensa, um retratista desenha mulheres a partir da descrição delas e depois a partir da descrição de outra pessoa e ao final compara os dois retratos e para a surpresa delas a maneira como elas se vêem é muuuito diferente da que os outros as percebem. Soa familiar a vocês???

Eu ainda estranho os elogios dirigidos a mim. Se tem alguém me olhando ou me admirando, eu desvio o olhar e corro para um espelho para entender se há algo de errado no meu rosto. Um rimel borrado, dente sujo, cabelo bagunçado. Qualquer coisa de estranho que justifique um olhar mais prolongado.

Eu cresci me achando menos bonita que algumas das minhas amigas. Detestava as minhas pernas grossas, a sobrancelha farta, queria ser loira. Tinha um monte de amigos me paquerando, me escrevendo cartas, querendo me namorar e eu não conseguia entender o que eles viam em mim. Eu só olhava para o que eu não gostava e encontrava uma porção de coisas para criticar. Ainda por cima era super tímida.

Não gostava das minhas roupas também, não sabia de estilo e de tipo físico e nem das cores que me deixavam mais bonita. Passava a maior parte do tempo me sentindo estranha. Até os 14 anos eu me boicotei feio.

Dos 14 em diante eu passei a me ver melhor, mas ainda assim me comparando à outras mulheres com biotipos completamente diferentes que o meu e me achando inferior.

Se alguém tivesse conversado comigo sobre o que eu tinha de melhor fisicamente e que além da aparência quem a gente é e como a gente se comporta deixa a gente mais bonita também, eu teria sofrido bem menos. Se eu tivesse aprendido sobre ilusão de ótica, teria dado a volta por cima muito antes.

Foi apenas as 27 anos que olhei para mim e vi uma mulher linda, madura, cheia de vida, independente, batalhadora, inteligente. Uma mulher merecedora de amor próprio, de olhares longos, de autoconhecimento para avançar e melhorar sempre.

Nós é que somos responsáveis por aceitar quem somos. Nós nos impedimos de olhar o que temos de melhor e nos fixamos em dar importância demais ao que não nos agrada e nos amarguramos, nos fechamos e não permitimos que os outros se aproximem. No fundo, o que mais tememos é a nossa opinião sobre nós mesmos. Na maioria das vezes, o que a gente acha que vai acontecer é muito pior do que a experiência em si.

Só por hoje vamos parar de nos boicotar???

Será que o mundo nos enxerga como nós nos vemos?Assistam ao video, vale muito a pena.

Beijos.

Read article

1702

Depoimento

Depoimentos

março 27, 2013

Hoje quem escreve aqui é Rê, prima querida, companheira de uma vida e há três anos de trabalho também. Trocamos figurinhas sobre tudo, todos os dias, inclusive sobre moda.

A Rê sempre foi mega básica, de usar MUITO jeans e eu tenho acompanhado as mudanças aos pouquinhos e quando a vi no sábado, dia 23 com um look INCRÍVEL cheio de brilho e atitude. Na hora sugeri que publicássemos um depoimento dela no Sem Espartilhos e aí está.

“Eu sempre tive o costume de me presentear no meu aniversario, costumava comprar roupa para usar no dia e outras para encher o guarda roupa.

Dessa vez foi diferente, eu fui pensando sim em comprar as roupas, mas não uma roupa especial e sim roupas que eu pudesse usar com todo aquele guarda roupa que ja me parecia “cansado”. Na verdade cansada tava eu de comprar comprar e só fazer volume.

Comecei a entender a necessidade de me vestir melhor e aproveitar mais as minhas roupas a partir da consultoria da Ju e de todas as dicas dadas, a opinião de uma outra blogueira, a Luly Mello do fala-se, e uma de suas publicações no sem espartilhos (quem não viu, clique aqui) me fez pensar ainda mais.

Então, dessa vez fiz diferente. Levei uma calça de cor terra modelo flare que já tinha até a loja e pedi opções para usar principalmente com ela e a partir daí com todas as outras que tenho em casa, por ter escolhido cores neutras e o preto.

Não trouxe muita coisas, mas fiz várias combinações que vão me permitir usar muito do que tenho no armário.

Sempre fui muito básica, nada de muito enfeite, mas dessa vez optei por dar destaque aos cintos. Quando provei o look que vocês vão ver aí nas fotos, achei legal, mas meio sem graça, mas no momento em que coloquei o cinto, o visual ganhou o “tchan”que faltava. Não mudei meu estilo, mas acrescentei algo ao básico que ficou mais bonito. Acessórios são meu próximo passo.

Ainda tenho muita vontade de comprar e comprar só que não mais como antes, hoje penso em tudo que tenho antes, para depois sair gastando meu dinheiro que hoje valorizo demais para empatar em roupa que não vou usar, assim como valorizei muito a minha aparência e o modo como me visto.

Obrigada Ju”

IMG_4700

IMG_4702

IMG_4703

IMG_4705

IMG_4701

Read article

1944

Bate-papo com Luly Mello do blog Fala-se de

Comportamento, Confissões, Depoimentos, tendências

março 13, 2013

Hoje o Sem Espartilhos traz uma convidada que é uma linda, tem um blog que faz o maior sucesso, é MEGA estilosa, super criativa e faz looks muito inusitados e que nos inspiram a ousar. A Luly Mello do www.falasede.com.br está na estréia do bate-papo.

fotocred2

Perfil: 26 anos, ariana, desing de moda, blogueira, sonhadora, mulher!

O que não falta no seu guarda-roupa:  t-shirt

Preferência fashion: gosto de misturar! sejam estilos, texturas, tendências…. adoro buscar harmonia no que parece “não combinar”

Peça desejo do momento: uma bolsa da gaúcha Paula Cademartori

Blog/Blogueira favorita: Blair Eadie do Atlatic-Pacific

O que movimenta o fala-se de: o desejo de dividir minhas preferências e me comunicar.

Como define o seu estilo: me vejo muito urbana, cosmopolita.

Qual o papel da moda para você: moda pra mim é muito mais linguagem que imagem, sabe?? é uma forma de você mostrar pro mundo quando está cansada, quando está animada, doente, apaixonada etc por meio de cores, estampas, volumes ou pela falta deles!

Vícios: meu vício número um do momento é o instagram! ahahha mas não resisto a um fast fashion. também adoro acessórios…

 Melhor compra de todas: acho que os óculos com meio aro em metal douradinho que comprei no mercado vintage de Candem, morro de amores! Nunca vi nada parecido e uso bastante, váááárias amigas já tentaram “tomar” de mim.

Conselho fashion: antes de olhar pra peça olhe pra você, se ver é o melhor dos exercícios…. afinal, ninguém vai saber o que te cai bem melhor que você e seu espelho!

O conselho fashion da Lully é a mensagem que eu tento passar a vocês todos os dias aqui no Sem Espartilhos; conheçam-se, explorem-se, experimentem o novo. Você vai se surpreender com o resultado.

Separei alguns looks lá do fala-se de para vocês:

lully3

lully2

lully

blue123

Beijos.

——————————

Sobre erros e acertos

Os erros e acertos da Helô de Salve Jorge

Vestidos bandagem e Big Brother

Oscar – onde a Adele errou e a Queen Latifh acertou

Entenda o seu tipo físico:

1. tipo físico ideal

2. tipo físico triângulo

3. tipo físico triângulo invertido

4. tipo físico redondo ou oval

5. tipo físico retangular

6. tipo físico ampulheta

7. tipo físico diamante

Read article

1511

Depoimento

Confissões, Consultoria de Moda, Depoimentos

março 12, 2013

Esta cliente é uma figurinha ímpar. Lembran-se das fotos das roupas repetidas, bijouterias emboladas e as desculpas para não se desfazer (frases de uma consultoria)? Eram desta querida.

Até hoje o guarda-roupa mais abarrotado que eu já organizei e uma das pessoas mais divertidas que já conheci.

Ela estava se sentindo perdida dentro do guarda-roupa, tentando reencontrar seu estilo de vida e procurando roupas que refletissem o seu amadurecimento. Sempre teve bom gosto para fazer compras, mas comprava tudo muito igual.

O meu trabalho foi mostrar a ela tecidos mais nobres, costuras mais elegantes e sapatos mais estilosos. Tudo isso combinado às quatro gavetas lotadas de acessórios.

A consultoria revelou a ela muitas maneiras de ousar.

Aí vai o depoimento que ela escreveu.

Beijos.

“Decidi contratar os serviços da Jú, de consultoria de moda, numa fase super atribulada da minha vida… Em meio a diversas mudanças internas, entre episódios que me fizeram crescer e amadurecer “na marra”, eu sentia que meu guarda-roupa já não acompanhava mais a pessoa que eu havia me tornado…É como se eu tivesse amadurecido, me tornado adulta, e meu armário não, eu continuava com aquelas roupas de adolescente, de balada, coisas que já não condiziam mais com o meu momento de vida atual, nem como o meu corpo…
Começamos a consultoria com a limpeza do meu armário…Provei peça por peça do meu guarda-roupa e tiramos muuuuuuitas coisas… Apesar de super cansativo e estressante, esse “desapego” de coisas que eu já não precisava mais, me fez muito bem, senti como se eu tivesse tirado “um peso das minhas costas”… Depois da limpeza, fomos às compras, adquiri peças-chave que têm muito mais a ver com quem eu sou hj, mais fina, elegante… Depois, a Jú me ensinou a montar os looks, basicamente a pensar mais em como combinar as coisas, ousar um pouco mais e tentar combinar uma coisa com a outra que eu jamais pensaria antes, ou por preguiça, ou até por não encontrar as coisas no meu armário, que como estava “abarrotado”, me dificultava muito achar alguma peça… Chegamos ao cúmulo de encontrar várias peças iguais ou parecidas no meu armário, ou seja, como eu não encontrava nada, mal sabia o que tinha, esquecia o que comprava e adquiria algo igual, por achar que eu estava precisando…
Vejo que isso tudo me ajudou muito, não só pelo fato de eu me sentir mais segura na hora de me vestir e por perder menos tempo a cada momento de escolher a roupa, mas também porque, com tudo mais organizado, tenho a sensação de que todo o resto ao meu redor passou a ficar mais organizado tb… É como se depois dessa arrumação, que começou pelo meu armário, todos os outros ramos da minha vida passassem a se organizar melhor em paralelo, aflorou em mim esse lado de querer organizar a minha vida melhor…
Enfim, só tenho a agradecer a Jú, que além de uma fofa, me ajudou bastante, e recomendar a consultoria pras meninas que, assim como eu, precisam de um “empurrãozinho” pra se desapegar das coisas e organizar melhor a vida…Não se trata de supérfluo não, pra mim, valeu super a pena em todos os aspectos!!!!”

Ela tinha um blazer amarelo no armário comprado recentemente na Zara e não conseguia usar de jeito nenhum. Então, peguei três dos 10 looks que fizemos com ele apenas para ilustrar a postagens. Estes são algums dos que ela jamais teria feito (e torceu o nariz quando peguei as peças) e que depois de prontos, amou:

clarissablazeramareloejeans

clarissablazeramareloepreto

clarissablazeramareloeshortspreto

————————————————-

Mais alguns depoimentos:

Consultoria de Moda: depoimento e looks parte 1

Looks de uma consultoria parte 2

Looks de uma consultoria parte 3

Looks de uma consultoria parte 4 – passeio

Looks de uma consultoria parte 5 – trabalho

Michelle

Consultoria da Cá

Read article

1354

Depoimentos de uma consultoria

Consultoria de Moda, Depoimentos

fevereiro 19, 2013

tumblr_lblw8z2K0C1qdo62to1_500

 

Uma das partes mais importantes do meu trabalho de consultoria de imagem é o feddback que eu recebo dos meus clientes. Nós convivemos longas horas durante 3, 4, 5 dias, compartilhamos sentimentos, frustações, apegos. Vamos às compras, montamos um guarda-roupa novinho e todas as sensações durante e depois do processo me enchem de curiosidade.

O depoimento desta fofa foi um dos mais honestos que já passaram por aqui. Ela preferiu não se identificar, mas deixou informações valiosas. Enjoy!!

“Doeu um pouco admitir que eu precisava de ajuda para me vestir.
Afinal, deveria ser óbvio: todo mundo se veste todos os dias, com as suas roupas que chegaram ao seu armário por escolha própria. Fácil, né?
Bom, todo mundo também sabe que fast food faz mal – e ainda assim, muitos de nós precisam de uma nutricionista para validar esta informação e orientar quanto à alimentação mais adequada de acordo com nosso biotipo, nossa rotina, nossos gostos. Você é o que você veste, o que você come, a maneira como você trata o porteiro. Mas nem todo mundo tem essa identidade esclarecida; neste caso, um bom caminho é procurar ajuda. 
 
A consultoria de moda ainda tem a reputação de ‘supérflua’ –  a mera menção de ter lido sobre consultoria num blog e me interessado pela ideia gerou as críticas clássicas: ‘mas tu vai gastar dinheiro com isso? Escolhe uma amiga que entenda de moda e faz compras com ela’. Hmmm… não tão fácil, para mim. Imaginem se eu tivesse que explicar para estas pessoas que eu chamei alguém lá de São Paulo para me orientar a me desfazer de mais da metade do meu armário?! 
 
Bom, mas vamos à consultoria: eu tinha um problema bem claro de ousadia e confiança na minha feminilidade. Um guarda-roupa super básico (mas cheio), vários brincos, anéis e pulseiras à disposição, mas usava todos os dias (há dois anos!) o mesmo par de brincos!
 
Doei mais da metade das minhas roupas. Não cheguei a ficar surpresa, nem muito angustiada, porque eu sabia que a Ju só estava me ajudando a fazer algo que eu queria fazer há tempos, mas não tinha coragem. Ao contrário das pessoas que guardam roupas para ‘ocasiões especiais’, eu guardava roupas para ‘emergências’: aquelas que já saíram há anos da pilha das preferidas, mas ficam ali, caso um dia eu não tenha o que vestir e precise delas. É claro que este dia nunca chega. Aliás, agora que meu armário está super reduzido, eu já repeti roupas e ainda não usei todas as que restaram. Não adianta: sempre tem aquela roupa que te deixa mais linda/confiante/atraente; você não vai mais usar aquelas que não usou nos últimos dois anos.
 
Com a Ju eu descobri que, no fundo, eu sabia o que ficava melhor em mim. Mas eu não ousava arriscar. Vi que a maioria das roupas que eu comprei recentemente permaneceu no armário. Foram embora as mais antigas, que já tinham uma conotação de lembrança, e aquelas que eu tinha ganhado de presente. Os calçados eram outro drama: eu tinha várias opções, mas usava all star até para trabalhar. Descobri sapatilhas bonitas e confortáveis que estavam no meu armário há anos, lá no cantinho, esquecidas. A mesma coisa acontecia com os acessórios: estavam ali, prontos para me deixar mais feminina, mas eu não usava, em nome da praticidade [leia-se insegurança/medo/outros dramas].
 
Nunca me interessei por moda e a Ju me ajudou a comprar roupas que, até então, eu não teria a ousadia de comprar sozinha. Já faz um mês, e eu ainda recebo elogios quase todos os dias, além de me sentir muito mais confiante – mesmo naqueles dias em que eu saio só com roupas e acessórios ‘velhos’ (aqueles do fundo do armário), mas bem combinados.
 
Cada um tem dificuldades diferentes, tipos físicos diferentes, objetivos distintos ao pensar em uma consultoria de moda. A Ju tem todo o conhecimento técnico do assunto para nos auxiliar, além da simpatia, que deixa todo o processo mais leve e agradável. Recomendo!”
——————————————–
Mais depoimentos:

Read article